Tecnologia na saúde: levando produtividade e agilidade ao segmento

Os responsáveis pela gestão de serviços estão constantemente diante de alguns desafios: o de implementar a tecnologia na saúde, ter uma empresa cada vez mais focada no paciente e em sua experiência, mantendo processos ágeis, produtivos e tecnológicos, com redução de custos e tempo.

Logo, implementar soluções com essas finalidades, que levem transparência e segurança, além de manter a competitividade com processos cada vez mais otimizados e eficientes no mercado, é essencial para o crescimento.

O que a tecnologia na saúde pode proporcionar à gestão de serviços?

Garantia de alta performance com o IOT

Manter a sustentabilidade do negócio, para que ele seja lucrativo, competitivo e tenha uma alta performance, é um dos principais desafios da gestão em serviços de saúde.

Nesse sentido, o IoT (Internet Of Things) pode auxiliar na gestão, com soluções inovadoras que atuam em diversos âmbitos da área, como no monitoramento contínuo do paciente, melhora nos processos de atendimento, armazenamento automático de informações em nuvem,  mais conectividade, agilidade e segurança no compartilhamento de dados, rastreamento de medicamentos/utensílios e monitoramento de resultados.

Isso significa redução no desperdício de recursos e otimização de tempo e processos, bem como a oportunidade de realizar análises preditivas para o gerenciamento de riscos e melhorias contínuas.

Essa é uma área em constante crescimento. Hoje, segundo uma pesquisa da Frost & Sullivan, cerca de 8% dos hospitais utilizam o IoT em seus processos, mas a tendência é que ela seja cada vez mais aplicada na rotina da tecnologia na saúde, inclusive com os pacientes.

De acordo com o instituto global McKinsey Digital, estima-se que até 2025 a Internet das Coisas no setor de saúde gere de US$ 3,9 trilhões a US$ 11,1 trilhões por ano.

RPA na tecnologia na saúde

O RPA (Robotic Process Automation ou Automação Robótica de Processos) é capaz de trazer ganhos significativos para a gestão de serviços de saúde. Até 2024, o RPA deve movimentar aproximadamente US$ 5 bilhões em todo o mundo.

Ele é sinônimo de tecnologia na saúde e permite automatizar processos, como: geração de relatórios, credenciamento de médicos e gestão de estoque de insumos, integração com diferentes ERPs e ampliar a eficiência operacional, com uma equipe muito mais focada em análises estratégicas, inovações e em proporcionar um cuidado mais humanizado aos pacientes.

Leia também: Como funciona RPA na prática para ter alta produtividade?

Como resultados, oferece redução de custos e falhas, além do aumento da rentabilidade do negócio, bem como a integridade e confiabilidade de informações sensíveis.

O que o PACS pode fazer pela gestão?

O PACS (Picture Archiving and Communication System ou Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens) tem a função de realizar o armazenamento, transmissão e visualização de dados de imagens. O sistema abrange todas as etapas dos processos, e deixa a comunicação entre hospitais e clínicas mais ágil.

O resultado da utilização desse sistema, que leva mais tecnologia na saúde, significa produtividade ao facilitar o controle, armazenamento e acesso de informações. Além de diagnósticos mais rápidos, maior padronização dos processos e acessibilidade, com a possibilidade de visualizar imagens, documentos, exames, incluindo a rentabilidade, agilidade e redução de custos.

RTLS – Real Time Location Systems

O RTLS atua no complexo sistema de gestão de serviços de saúde otimizando a implantação de novos recursos, a padronização de processos e a agilidade nas operações, ao localizar com facilidade ativos em tempo real, bem como informações sobre equipamentos e pessoas. 

Além disso, é possível ganhar em tecnologia na saúde com a conectividade em diversos dispositivos e aplicativos, bem como economizar tempo e recursos com ferramentas de monitoramento.

Outras tecnologias que oferecem ganhos significativos

Segurança de dados

Outro ponto importante, que já citamos acima e merece destaque na gestão é a segurança de dados. Isso porque constantemente lida-se com dados sensíveis e, além dos códigos de ética médicos, há a LGPD, que exige medidas que prezem pela segurança das informações. Tudo para evitar invasões e ameaças indesejadas.

Um dos grandes exemplos está ligado ao prontuário médico. Esse documento contém informações sigilosas do paciente, como histórico de doenças. Além de ser necessário resguardar essa informação e a portabilidade dos dados.

Tendo em vista a dinâmica que esses dados são armazenados e tratados, acompanhar esse processo em real time é necessário. Isso porque a confiabilidade dos serviços depende de um acompanhamento mais próximo e monitoramento eficaz.

Os trabalhos de NOC/SOC da Tecnocomp realizam justamente esse acompanhamento tão necessário para garantir a segurança e tecnologia na saúde.

Ganhos que a inteligência artificial proporciona

Com a inteligência artificial, cada vez mais surgem novas soluções voltadas para o controle e gestão desses dados. Isso porque eles precisam estar disponíveis a todo momento, mas devem manter um alto nível de segurança.

O Machine Learning pode ser adotado na identificação de ameaças, bem como phishing e no controle de prevenção de riscos e falhas, por exemplo. Ele também é conhecido pela capacidade de minimizar a incidência de erros humanos.

O uso da IA contribui para a tecnologia na saúde e proporciona tomadas de decisão mais assertivas, com informações em tempo real, uma grande capacidade de gerenciamento de dados, além de reduzir o esforço humano em tarefas burocráticas e repetitivas e otimizar tempo e recursos. Um reflexo disso é que a Accenture prevê que o mercado de IA na assistência médica valerá US $ 6,6 bilhões até 2021.

Esses são só alguns pontos que mostram como a tecnologia e a inovação estão interligadas com a área da saúde. Os processos de gestão, assim como toda a equipe, têm muito a ganhar com a implementação de novas soluções. Conheça mais aqui.


Ultimas Notícias: